OBRIGADO PELA VISITA

O LABORATÓRIO SIDERAL leva até você, somente POSTAGENS de cunho cultural e educativo, que trata do universo; das gentes; das lendas; das religiões e seus mitos, e de forma especial, dos grandes mistérios que envolvem nosso passado. Contém também muitos textos para sua meditação. Tarefa difícil, mas atraente. Neste Blog não há bloqueio para comentários sobre qualquer postagem.

A FOTO ACIMA É A VISÃO QUE TEMOS DA CHAPADA DO ARARIPE, A PARTIR DA NOSSA "VILA ENCANTADA".

domingo, 8 de maio de 2016

DIA DAS MÃES - Por Viviana Almeida

O meu dia começou assim:

Eram 06:30 da manhã. O sono ainda não me permitia acordar, mas, fui acordada por um anjinho de 10 (dez) anos, era a minha filha caçula a Júlia.

Eis que ouvi meio zonza a porta do meu quarto se abrindo de mansinho em seguida escutei alguém me chamar: 

-Mãezinha vem tomar o café. Abri os olhos e a vi postada em minha frente ao lado da minha cama e falei:
- Júlia hoje é domingo e ainda não fiz o café da manhã!
- Eu sei mãezinha - respondeu ela - eu fiz o seu café da manhã!
- HEIN! falei surpresa!

Levantei de um pulo e ainda não havia atinado para a data festiva de hoje.

Ao abrir a porta do meu quarto, me deparo com um caminho de flores espalhadas no corredor seguindo em direção à cozinha... Sabem, fiquei meio sem entender, entre surpresa e chocada com a visão que tive! Era um fato inédito. Imediatamente peguei a câmera e fui registrar esse ato de carinho e muito amor em minha vida. As flores foram colhidas por ela muito cedo certamente e a visão de tudo exalava ternura e paz.

Ao chegar na sala de jantar...
... A surpresa não tinha acabado...
... Olha que linda visão eu tive. Meu anjinho de 10 anos, a Júlia, preparou sozinha um café da manhã perfeito: frutas, suco, sanduíche e café... e com direito a pétalas de flores na mesa e muitos bilhetinhos destacando-se um no centro da mesa  "I love You MAMÃE"!

O mais notável é que eu ainda não havia percebido o quanto minha filha em tenra idade, havia aprendido na área de prendas domésticas. Sinceramente gente eu não imaginava que ela possuía tanta habilidade na cozinha e noção sobre esta data "Dia das Mães". Começou cedo fazendo festas para mim. Vejam só: 


Toda semana recebe uma mesada e entrega ao avô para guardar dizendo que era para uma ocasião especial. No último domingo, primeiro de maio, ela resolveu me oferecer um jantar. Foi então ao avô e perguntou quanto gastaria para aquele jantar e ele falou a quantia que gastava costumeiramente na churrascaria. Então ela disse:


- Vô, pois eu quero que o Senhor tire do meu cofrinho essa importância por que preciso fazer uma festa para minha mãe em comemoração ao "Dia das Mães". Então o seu avô falou:

- Mas ainda faltam oito dias filha.
- Ela replicou, - eu sei, mas quero fazer isto hoje. Diante daquela segurança, Meu pai liberou a quantia solicitada.

E sabem a melhor parte? Ela nos convidou a mim e seus irmãos para jantar e lá fomos nós, me senti sua motorista, só dirigi o carro. Hoje no café desta manhã, preparou a mesa para nós quatro: eu, ela e também seus dois irmãos mais velhos que ainda não haviam acordado! 

Abracei-a, beijei-a e disse: Não tenho palavras para te agradecer minha princesa! Você fez desse meu Dia das Mães, um dia perfeito, perfeitíssimo, marcante e inesquecível! Te amo muito! Amo os três! Que Deus os abençoe e os proteja SEMPRE... SEMPRE!

Diante da alegria imensa que senti, pensei em todas as mães e aproveito para desejar a todas que comungam comigo a alegria de ser mãe... um "Feliz Dia das Mães!" Que sejam tão abençoadas como EU!

Vamos agora as imagens:

Caminho das Flores saindo do meu quarto



Corredor

Acesso à sala de jantar



Sala de Jantar



































A Anfitriã




Minha Prole


Um pouco sobre a Júlia

Esta é a minha Bebê:
Pensativa
Matreira
Feliz
Bom, não pude aparecer nas fotos por que eu era a única fotógrafa em minha casa nesta manhã, mas, mais tarde, na comemoração do Dia das Mães, na casa da minha mãe, tiramos esta:

Texto e Fotos: Viviana Lima de Almeida
08/05/2016

DIA DAS MÃES - Por Vicente Almeida

DIA DAS MÃES

Diante de tanta solidariedade às mães
Venho hoje prestar também minha homenagem
A mãe cujo filho lhe enriquece a alma
Mas, lembrando também nesta postagem
A amargura do coração materno que entristecida
Foi pelo filho abandonada e esquecida
Não sabe onde anda, qual é sua paragem;

Sim... Rogo a Deus, paz e vida longa
Para todas as mães desta sofrida terra
Mas, sem esquecer aquela mãe pelos anos carcomida
Sofrendo pelo filho que perdeu na guerra
E a enfermidade deste outro já quase sem vida
Ela ao pé do seu leito, de si mesma esquecida
Chorando de dor... Seu coração de mãe não erra;

Muitas mães transbordam de alegria
Com tudo que o filho em tenra idade apronta
Aquelas outras amanhecem o dia
A porta da prisão assim que o sol desponta
Para ver o filho amado
Ali confinado
Por motivos que ela nem faz conta;

O amor pelas mães enriquece as lojas
Onde os filhos lhes compram o presente pioneiro
Já na casa de outras mães o filho chora
E elas com eles choram o desespero
De não ter o alimento necessário
A panela vazia, o coração cheio de amor e solitário
No fogão só cinzas fogo apagado e sem braseiro;

E hoje as mães recebem muitos abraços
Carinhos e beijos de modo ardente
Bem podiam retribuir em orações
Hoje... Neste dia somente
Em benefício das mães que vivem em constante luta
Sem lamentar o cansaço da labuta
E a orar pelos filhos de forma permanente;

Se me perguntares: Onde estão essas mães que não se vê,
Andando nas ruas, nas praças, em qualquer parte?
Responderei: Como operárias ou domésticas
O tempo não lhes dá chances de compras e desta arte
Vivem no silêncio do anonimato, no trabalho honrado
Conduzindo no regaço do coração o filho amado
Finalmente te digo: Mãe assim existe em toda parte!

Escrito em parceria, por Vicente Almeida e Valdênia Almeida
08/05/2016

PRECE PELAS MÃES - Por Valdênia Almeida

PRECE PELAS MÃES

Abençoa Senhor aquela mãe infeliz
Que por falta de condição
Sem permissão de um juiz
Deu seu filho à adoção
Para que ele assim cresça feliz;

Abençoa Senhor a mãe bondosa
Que sem ajuda do marido
Desditosa e sem dinheiro
Cria e educa o seu filho querido
E faz dele um engenheiro;

Abençoa Senhor a mãe aflita
Que teve o seu filho amado
Vitima de assassino
Cruel louco e desalmado
Que o deixou ferido
Ou morto e ensanguentado;

Atende Senhor o pedido que te faço
E na tua glória infinita
Não permitas que mais mães
Sofram mais tanta desdita
Nas mãos de agressores tresloucados
Insensatos, insensíveis e malfadados
Por conta de tanta e tanta injustiça.

Escrito por Valdênia Almeida
08/05/2016