OBRIGADO PELA VISITA

O LABORATÓRIO SIDERAL leva até você, somente POSTAGENS de cunho cultural e educativo, que trata do universo; das gentes; das lendas; das religiões e seus mitos, e de forma especial, dos grandes mistérios que envolvem nosso passado. Contém também muitos textos para sua meditação. Tarefa difícil, mas atraente. Neste Blog não há bloqueio para comentários sobre qualquer postagem.

A FOTO ACIMA É A VISÃO QUE TEMOS DA CHAPADA DO ARARIPE, A PARTIR DA NOSSA "VILA ENCANTADA".

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

DEUS EXISTE, ACREDITE! - Por Vicente Almeida

NOS arredores de uma grande cidade, havia um casal com três filhos o mais velho com quatro anos e o mais novo com três meses de idade. Habitavam em uma palhoça no subúrbio afastado, por favorecimento de um senhor que não lhe cobrava aluguel de tão singelo casebre.

A pobreza cobria seus dias. A necessidade envolvia aquele casal como se não desejasse largá-lo. Nada possuíam que se pudesse identificar como patrimônio, com exceção da sua prole composta pelos três filhos.

Na pequena palhoça não havia cama, improvisavam esteiras, forravam com velhos e carcomidos lençóis doados pelas criaturas sensíveis a dor alheia. O fogão improvisado ficava em um canto da casa que não possuía quartos, era composto de três pedras que formavam uma trempe e sobre elas uma pequena panela de barro com água. Algumas rachas de lenha apagadas ornavam a trempe e uma caixa de fósforos com meia dúzia de palitos estava sempre ali por perto, para, dizia ela: “Quando Deus mandar a comida, já terei tudo preparado para cozinhar”.

Não viviam da mendicância, pois o pai era muito esforçado e onde houvesse a possibilidade de ganhar o sustento de cada dia, lá estava ele rogando trabalho. Enquanto isso a mãe se dedicava ao cuidado materno dos filhos e não podia sair de casa para procurar trabalho por que havia o pequenino, que estava requerendo extremados cuidados.

O tempo ia passando lentamente e a necessidade do casal só aumentava. Eles juntos oravam todas as noites, rogando ao Senhor Deus para não deixar seus filhinhos morrer de fome. Todas as manhãs o pai saía em busca de trabalho, e sempre voltava com o necessário, mas certo dia retornou de mãos vazias, e chorando abraçou a esposa e falou: Mulher, eu sei que Deus não nos abandonou, mas está muito difícil arranjar trabalho. Hoje não teremos comida para nossos filhos e me dói ver o nosso neném sofrer por causa da nossa pobreza. Você já esgotou o leite materno pela ausência de com que se alimentar. Amanhã vamos pegar nossos filhos e procurar casais que queiram criá-los, assim eles terão o alimento de que precisam. A nossa dor será grandiosa, pois nunca mais os veremos, mas, prefiro assim para eles não morrer de fome.

Naquele dia, a ausência do que comer tirou o sono do casal e dos filhos que famintos, choramingavam silenciosamente lá no cantinho do casebre, enquanto o pequenino nos braços da mãe, olhava para ela com muita ternura, sem nada entender e sem saber que aquela poderia ser a última noite juntos.

E a noite foi se aprofundando até que os animais noturnos silenciaram. Ai os pequeninos finalmente adormeceram, o casal, carinhosamente consternado, colocou-os sobre suas esteiras em sua volta e se ajoelharam para orar pela última vez na presença dos filhos, pois sabiam que no dia seguinte, iriam procurar alguém que os aceitasse.

Foi a noite mais longa de suas vidas, mesmo assim oraram com mais fervor e finalmente também adormeceram.

No dia seguinte ao acordar a esposa contou para seu marido que em sonho uma senhora havia lhe dito que aquela seria a sua última noite de pobreza extrema. Disse mais, que eles haviam passado na prova.

A mesma senhora disse que ela fosse a um grande supermercado que existia na cidade e lá fizesse uma grande feira de tudo que realmente precisasse para alimentar sua família durante um mês, mas, procurasse passar a feira no terceiro caixa e se houvesse grande fila mesmo assim esperasse lá a sua vez.

O seu marido ouviu tudo atentamente e disse: Mulher, a tua fome tá te transtornando e eu não vou fazer isto para não ser preso, imagine chegar ao caixa de um mercado de homens ricos e quando a moça somar tudo eu disser que não tenho com que pagar. Pense no vexame, A gente é pobre e se formos presos, ai é que nossos filhos vão sofrer.

A mulher disse: A senhora que falou comigo no sonho, foi como se eu tivesse acordada e vendo mesmo ela, e ela falou para eu não ter medo. Vamos fazer assim, - disse a mulher: Você fica com nossos filhos lá fora, se eu for presa, você volta pra casa e faz que nem me conhece. Assim ele aceitou e lá se foram para o supermercado, cheios de medo.

A mulher entrou, pegou um carrinho e foi olhando nas prateleiras o que era mais barato e necessário para alimentar a família e nele foi colocando. Quando já estava superlotado com tudo que ela de fato precisava. Entre temerosa e confiante se dirigiu ao terceiro caixa.

Havia uma grande fila, mas, aguardou pacientemente, enquanto lá fora o marido fazia o que podia para controlar as crianças. Ao chegar sua vez, seu coração disparou, quis sair correndo e abandonar tudo, mas, olhou lá fora e viu seus pequeninos com o olhar voltado para ela que já estava passando a mercadoria no caixa. Ai ela se lembrou da senhora do sonho e falou consigo mesmo, tenha fé!

Quando a moça do caixa somou tudo e ia dizer o valor total da feira, uma voz surgiu de repente nos alto falantes da loja “PAREM TODOS OS CAIXAS E ATENÇÃO, QUEREMOS FAZER UM COMUNICADO IMPORTANTE, NOSSO PATRÃO ESTÁ PRESENTE E VAI FALAR”!

Naquele momento, silenciosamente a mulher do terceiro caixa começou a derramar lágrimas e pensou “É AGORA, ELES VÃO ME PRENDER”!

Mas, o proprietário do supermercado que havia chegado de viagem, ao assumir o microfone, informou que aquele supermercado estava completando 25 anos naquele dia, e ia presentear um cliente com a feira que estava passando no caixa, e mais um ano de supermercado grátis, tudo isto em virtude do sucesso obtido nos seus negócios. Pediu que aguardassem que ia fazer o sorteio entre os 12 caixas existentes.

Em seguida anunciou: “O cliente sorteado é o do terceiro caixa. Peço que zerem a conta dele e o encaminhem a Diretoria para completarmos o que foi anunciado”.

A moça do terceiro caixa então se dirigiu a mulher que estava a tremer de medo, olhos lacrimejantes e falou “A SENHORA OUVIU, NÃO VAI PAGAR NADA!”.

Caro leitor - Não posso descrever o que o casal sentiu, precisaria de muitas páginas para falar da sua emoção e de quão grande era a sua fé, deixo que você imagine conforme as definições de sua sensibilidade.

Posso dizer apenas que ela chamou o seu marido e os filhos e se ajoelharam ali mesmo e deram Graças a Deus. E todos se surpreenderam quando ela contou por que estava ali e queriam ajudá-la e nada mais lhes faltou.

Para resumir, ela e o seu marido foram contratados para trabalhar na empresa e passaram a residir em uma modesta e confortável casinha pertencente ao dono do supermercado.

Escrito por: Vicente Almeida
19/11/2010

domingo, 14 de maio de 2017

DONS DE DEUS II - Por Vicente Almeida

DIA DAS MÃES

É verdade que: até hoje, não foi inventado bem maior do que um filho. Se for regado com carinho, amor e bons exemplos teremos orgulho dele.

Que precisamos ser para o filho, seu melhor companheiro, seu melhor amigo, seu confidente sem nos deixar escravizar por suas vontades, nem aceitar passivamente seus excessos. O excesso elimina a qualidade.

Que uma palavra amiga estabelece freio na desordem e um abraço carinhoso, não lhe custa um centavo sequer e a paz interior que se estabelece não tem preço.

Que o melhor momento, ainda é aquele que passamos com as pessoas que amamos, pois, elas não estarão por aqui para sempre (nem nós).

Que dizer eu te amo: à sua companheira ou seu companheiro, o filho ou a mãe e às pessoas do nosso terno carinho faz os corações vibrar e se encher de ternura.

Que um beijo e um abraço quando vêm de lá de dentro, curam a dor. “Por isso, valorize sua família e os amigos leais.” Não leve em conta alguma contrariedade que venha a sofrer. Isto faz parte do aprendizado. 

Que cada passo que você dá em direção ao futuro é como se estivesse construindo uma ponte. Faça-a sólida, pois poderá retornar pelo mesmo caminho!

Que a prudência é a mais sábia das decisões. Você jamais se arrependerá em adotá-la.

Que exigir dos outros é muito fácil, será que estamos cumprimos nossa obrigação com eles?

Entendemos que cada ser humano recebe os dons e habilidades de que necessita para adquirir experiências e vencer seus próprios obstáculos no decorrer da sua existência.

Se algo der errado, não terá sido por falta desses dons e habilidades, mas, por que o beneficiário desviou o seu curso. Vamos exemplificar (embora não seja necessário):

- O cantor recebe o dom da voz;
- O carregador/estivador desenvolve músculos fortes e suporta pesos acima da média;
- O médico recebe a habilidade e a capacidade para curar os enfermos e fazer verdadeiros milagres em cirurgias;
- O Professor recebe o talento para transmitir seus conhecimentos àqueles que pretendem se promover na vida.
- O historiador vem com uma memória privilegiada e a capacidade de fazer belas e históricas narrativas;
- O sábio nasce com o dom da paciência e suas palavras são cheias de poder e sabedoria.
**********************************************

A MÃE incorpora tudo isto e muito mais e tudo que ela faz é sempre pensando naquele que é sua razão de ser.

A MULHER MÃE recebe o dom da maternidade, em cujo ventre durante cerca de 270 dias, abriga e alimenta uma ou mais vidas entrelaçadas pelo amor. De quebra, Deus a premia com ilimitadas habilidades que não se vê no mortal comum e na hora certa desempenha magistralmente cada uma delas em benefício do seu rebento, sem descanso.

ILUSTRANDO:
- É cantora, e mesmo desafinada e suas canções de ninar acalmam o filho inquieto;
- É Carregadora zelosa até que o filho assim o exija, não importa o peso arcado;
- Médica. É a primeira a medicar o filho com carinhosas palavras de conforto;
- É professora e transmite ao filho as primeiras lições da escola da vida;
- É historiadora, contadora de histórias até que o sono chegue;
- É sábia. Para o filho infante é autoridade no que aconselha procurando desviá-lo das mazelas da vida no futuro e que ela já conhece muito bem.  “Palavra de Mãe ”.

COMO se não bastasse, suas tarefas são desempenhadas em regime de vinte e quatro horas, desdobrando-se entre esposo, trabalho (às vezes externo) e os filhos, de quebra, muitas vezes os netos. 

Esta é a mãe que queremos ressaltar neste texto, mas não podemos esquecer a mãe adotiva, conhecida também como mãe do coração, a quem Deus privilegia com as mesmas possibilidades.

Por isto dizemos: PARABÉNS MÃES pelo dia dedicado à sua existência.

Iniciamos o texto tecendo comentário sobre o filho, por que é necessário que ele venha primeiro.

Escrito por Vicente Almeida
14/05/2017