OBRIGADO PELA VISITA

O LABORATÓRIO SIDERAL leva até você, somente POSTAGENS de cunho cultural e educativo, que trata do universo; das gentes; das lendas; das religiões e seus mitos, e de forma especial, dos grandes mistérios que envolvem nosso passado. Contém também muitos textos para sua meditação. Tarefa difícil, mas atraente. Neste Blog não há bloqueio para comentários sobre qualquer postagem.

A FOTO ACIMA É A VISÃO QUE TEMOS DA CHAPADA DO ARARIPE, A PARTIR DA NOSSA "VILA ENCANTADA".

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

TABUS E MEDOS - Por Vicente Almeida

TABUS E MEDOS


Nasci em um sitio de pé de serra denominado Belmonte, aqui no Crato-CE. Meus pais eram singelos agricultores, tementes a Deus, e não arredavam uma vírgula das informações que lhes eram passadas pelos sacerdotes do seu tempo. O que eles aprenderam foi o que nos repassaram no decorrer dos anos.

Quando eu tinha cerca de dez anos fiquei sabendo por terceiros, que no último dia da semana santa, sábado de aleluia, deveria haver uma missa a meia noite, e somente poderia ser celebrada se os padres, folheando todos os livros da igreja encontrassem uma gota de sangue, o sangue de Cristo entre as páginas de um deles. Por isto as portas ficavam cerradas. Quando o sangue era encontrado, os sinos tocavam alegres e as portas eram abertas ao público.  

O meu medo era que não encontrassem a gota de sangue, pois fiquei sabendo que se não fosse localizada, o mundo acabaria naquele ano. Então nessas noites eu não conseguia pregar o olho até ouvir o sino tocar a meia noite.

Com o passar dos anos, fui crescendo, mas sempre temeroso de um dia o mundo acabar no ano em que não encontrassem aquela gotinha de sangue. 

Aquilo não me saia da cabeça. Mais algum tempo e fui autorizado a ir à missa do sábado de aleluia. Então me plantava na calçada da Sé Catedral ouvindo o barulho interno sem nada poder ver, e ficava também de olho no grande relógio da matriz, doido que chegasse a meia noite e que os padres encontrassem a tão esperada gota de sangue.

O leitor que atualmente conta com menos de trinta janeiros, não passou pelos tempos negros dos tabus religiosos e não pode imaginar o que naqueles tempos se passava na mente de uma criança. 

E naqueles tempos a gente não podia conversar com os adultos sobre essas coisas, pois eles saiam com evasivas, talvez por que também não soubessem explicar como acreditavam nessas coisas. O padre estava certo e ponto final.

Quando se aproximava esse tempo, eu perdia o apetite e ninguém me fazia comer coisa alguma. Às vezes me escondia para não conversar com ninguém, e até temia tocar no assunto.

É... Fui um garoto irrequieto, mas cheio de temores e traumas, mas não culpo os fundamentos da religião por isto. Naquele tempo era o que podia ser ensinado.

Lembro-me de 1957 quando falaram que em 1960 haveria três noites de escuro, e durante a escuridão a maior parte da população mundial morreria.

Pois bem, sofri durante os três anos seguintes e passei meses sem me alimentar direito. Era horrível ser criança e não poder falar com os adultos sobre nossos temores. Talvez eles tivessem me ouvido e me orientado. Mas eu temia demais falar sobre o assunto quando este cheirava a morte.

Por motivos religiosos e pelos tabus pregados como verdades, sofri muito na minha infância, juventude e adolescência. Se estou aqui narrando para vocês é por que sei que muitos também passaram por coisas semelhantes e como eu, certamente deram a volta por cima sem armazenar traumas.

Cada um tem a sua história. E você, qual é a sua?

Escrito Por Vicente Almeida
em 07/04/2012

10 comentários:

  1. Vicente,meu compadre,tenho quase a mesma idade sua e hoje creio que a mídia e as igrejas continuam fazendo a cabeça de muita gente com essa história de o mundo acabar e agora tão todos pregando o INÍCIO das DORES.Fim dos tempos,tem um cara afirmando que nas primeiras semanas de Outubro já seria lançada a moeda única e que nesse mês vários tremores aconteceriam . Vicente ,um abraço e vamos aguardar o fim o fim do ano 2050.

    ResponderExcluir
  2. É...

    E ai cara. Estava com saudades de você mas não sabia como entrar em contato.

    Foi muito bom você aparecer por aqui.

    Quanto a postagem "TABUS E MEDOS" eu vivi minha infância e adolescência assombrado, pois, de vez em quando aparecia um profeta de araque falando com meus pais sobre o fim do mundo e era o suficiente para me introspectar e não falar com ninguém durante muito tempo até o medo passar.

    Aqueles tempos para os meninos eram horríveis, mas, felizmente também não havia terapia com psicólogos, a gente tinha mesmo era que seguir em frente, ser macho e superar os temores. Por isso mesmo não armazenei sequelas daqueles medos. Abracei o mundo, dei a volta por cima e superei simplesmente tudo.

    Apareça sempre meu compadre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compadre Vicente,Tô sempre aparecendo no Face e escrevendo minhas loucuras poucos entendem,não é que sejam difíceis é que são mal explicadas. Vc sabe escrever torto em linhas tortas pelo torto é complicado.Mas vc entende, um grande abraço em todos da Vila Encantada...

      Excluir
  3. Meu Compadre Vicente - Adicionei o seu Blog Laboratório Sideral ao nosso - Solicito o obséquio de também adicionar o nosso ao seu. Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Vicente - Os pais que levam os filhos a igreja não vão buscá-los na cadeia. Os filhos que fogem os princípios dos pais só terão dois caminhos : A cadeia ou o necrotério.

    Seu Texto é um primor de postagem.

    ResponderExcluir
  5. Obrigado compadre. Assim facilita o transito de um Blog para o Outro.

    Bom dia e um grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. Tio fiquei surpreso com esse seu texto, mas por outro lado imaginando o quão assustador foi nessa época. Bom que o tempo passou e tudo não passava de utopia. Muito embora, hoje a gente convive com a violência diária e percebendo que essa é uma das maneiras que contribui para "acabar o mundo".

    ResponderExcluir
  7. E...

    Filho:

    No meu tempo de criança era assim. Não tínhamos saída era acreditar ou acreditar segundo as informações dos mais velhos ou letrados e não tínhamos autoridade nem topete para questionar as informações e silenciosamente sofríamos.

    A violência sempre existiu e para ser sincero, hoje é bem menos do que na antiguidade.

    Houve um tempo em que os imperadores de Roma mandavam crucifixar muitos seres humanos a beira dos caminhos para que todos vissem. De uma vez foram crucificados três mil pessoas, não sei se eram escravos, desafetos ou prisioneiros do império, sem falar na violência aplaudida no Coliseu Romano em cuja arena escravos e cristãos eram trucidados e devorados pelos leões.

    Agora se formos falar de inquisição, é de estarrecer, as atrocidades cometidas pelos inquisidores supera de muito quaisquer outros crimes. Para os inquisidores não bastava matar era necessário fazer a vítima sofrer até confessar atos que nem praticou, não satisfeitos com a confissão das vítimas mandava assassiná-los através de sofrimentos inenarráveis até o último suspiro.

    Apesar do impacto que hoje nos causa as denuncias de violência por que a mídia mostra em tempo real, se analisarmos comparando a história, hoje a a violência parece bem menor que antes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com a sua colocação sobre antigamente ter sido mais violento. Sem dúvidas, a gente pode encontrar na Bíblia quando narra sobre os confrontos que aconteceram e que ainda acontecem em "nome de Deus". Porém, hoje a violência estar em todas as instâncias: a falta de saúde pública, por exemplo, é um fato contra a população que morre à míngua. Não termos a educação adequada também é muito cruel. Tudo isso vem contribuindo para o desentendimento e uma falta de respeito muito grande para com o próximo. De uma certa forma, temos que conviver com todas as adversidades e medos que nos rodeiam e pedir a proteção divina.

      Excluir
  8. É...

    É verdade filho, a violência apenas mudou de mão. Antes era provocada somente pelos poderosos, com a exposição de crimes estarrecedores, embora somente dezenas de anos depois o outro lado do mundo vinha a saber. Hoje ela é realizada pela população insatisfeita com seus governos.

    O problema é que ao realizar suas manifestações/protestos por situações melhores provocam quebra quebra desnecessário e às vezes inviabilizam a ideia de solução.

    Tanto os protestos de ruas quanto as greves estão longe de serem realizados de forma passiva e sempre causam transtornos a quem nada tem a ver, assim, essas pessoas também são violentadas em seus direitos.

    Quanto a saúde e a educação, no Brasil virou um caos, todos sabemos, mas é preciso passar esta geração de políticos malditos, para que a ordem se restabeleça e isto somente será possível com a conscientização do voto.

    ResponderExcluir