OBRIGADO PELA VISITA

O LABORATÓRIO SIDERAL leva até você, somente POSTAGENS de cunho cultural e educativo, que trata do universo; das gentes; das lendas; das religiões e seus mitos, e de forma especial, dos grandes mistérios que envolvem nosso passado. Contém também muitos textos para sua meditação. Tarefa difícil, mas atraente. Neste Blog não há bloqueio para comentários sobre qualquer postagem.

A FOTO ACIMA É A VISÃO QUE TEMOS DA CHAPADA DO ARARIPE, A PARTIR DA NOSSA "VILA ENCANTADA".

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

ATENÇÃO - ELEIÇÕES A VISTA - Por Vicente Almeida

Prepare-se para ouvir o que deve e o que não deve.

SE o seu candidato for como este, você estará FEEEERRADOOOOO!

SE for eleito, nós também estaremos FEEEERRADOOOOOSSS!





31/08/2012

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

SONHOS DE MUDANÇAS - Por Vicente Almeida


SONHOS DE MUDANÇAS

De tanto ver triunfar as nulidades; 
De tanto ver prosperar a desonra; 
De tanto ver crescer a injustiça; 
De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus; 
O homem chega a desanimar da virtude; 
A rir-se da honra; 
A ter vergonha de ser honesto. 

Eu não troco a justiça pela soberba; 
Eu não deixo o direito pela força; 
Eu não esqueço a fraternidade pela tolerância; 
Eu não substituo a fé pela superstição; 
A realidade pelo ídolo;

Maior que a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado.

Se os fracos não têm a força das armas, que se armem com a força do seu direito. "Ruy Babosa de Oliveira" 
********************************************************

Pelo texto inicial, fica claro que o estadista Ruy Barbosa de Oliveira era um idealista.

Tanto que foi um dos conspiradores para a derrubada da monarquia no Brasil no dia 15 de novembro de 1.889.

Na sua concepção de estadista, republicano convicto, achava que esse regime seria o melhor para o Brasil. Foi também o autor do primeiro decreto do Governo Provisório e o primeiro Ministro da Fazenda. 

123 anos depois, Se vivo fosse, perceberia que a sua luta ainda não logrou êxito.

Os políticos desta República Presidencialista que somos, continuam voltada para interesses espúrios ao invés de defender os direitos do povo. 

Pessoalmente não sou dado a questionamentos políticos. Entretanto o momento é oportuno para esta postagem. Assim os eleitores terão mais um motivo para repensar seus conceitos observando sobretudo, a qualidade de representantes que tínhamos no século XIX e o que temos hoje, em pleno século XXI, sem nenhum ideal, sem nenhum escrúpulo, sem vergonha!

Os políticos de hoje, querem apenas e tão somente exercer domínio sobre a população, para obter poder e retorno financeiro sem limites, com um agravante: financiam com dinheiro público o crime e levam pessoas de bem ao desespero.

Estamos em ano eleitoral, época propícia para renovação e mudanças. Será que não somos ainda capazes de repensar nossos conceitos sobre os políticos que estamos elegendo nos Municípios brasileiros?

A mudança que porventura venha a se concretizar, não é responsabilidade dos eleitos. É nossa. É do cidadão comum.

Somente o voto poderá provocar mudanças e isto depende da decisão pessoal de cada um. Será possível sim, quando tivermos capacidade de usar a força do direito elegendo homens não viciados em política, mas capazes de contribuir para o início de uma transformação nos poderes executivo e legislativo.

Vicente Almeida
30/08/2012

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

FILOSOFANDO - Por Vicente Almeida


VI POR AI, E PASSO POR AQUI

Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.

Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.

Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja. 

Certeza é quando a ideia cansa de procurar e pára. 

Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente, mas, geralmente, não podia. 

Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma. 

Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer, mas acha que devia querer outra coisa. 

Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.

Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido. 

Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo da vida.

Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.

Paixão é quando apesar da palavra “Perigo” o desejo chega e entra. 

Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.

Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista. 

Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes. 

Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato. 

Saudade é quando o passado tenta acontecer de novo e não consegue.

Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado. 

Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração. 

Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora. 

Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele. 

E AMOR O QUE É?

Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado. 

Não... Amor é um exagero... Também não!
Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desassossego?

Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação,esse negócio de amor, não sei explicar e fico por aqui!

Vicente Almeida
29/08/2012

terça-feira, 28 de agosto de 2012

RESSURREIÇÃO DOS MORTOS - Por Vicente Almeida


VERDADE OU MENTIRA


Várias passagens Bíblicas nos falam sobre a ressurreição dos mortos, e segundo interpretações dogmáticas, isto quer dizer que a alma em um tempo não definido, deverá retornar ao corpo que abandonou na terra há milhares ou milhões de anos.

Não precisamos ser muito inteligentes para perceber essa impossibilidade. Isto é impossível, improvável e inviável basta raciocinar.

Toda interpretação que conhecemos sobre a ressurreição dos mortos, é o resultado de inúmeros tratados de cunho teológico, e tem sua origem no fanatismo, que transformou em tabu qualquer discussão neste sentido.

Erradamente atribuíram essa informação como palavras de Deus e de Jesus Cristo, mas, jamais ficou provado que Deus em sua infinita sabedoria tenha estabelecido tamanha aberração.

Além do mais, segundo Gênesis, capítulo 3 temos o seguinte texto: "No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás."  (Gênesis 3:19.)Isto não parece simbolismo, mas um texto bem condizente com a realidade.

Em sua imensa sabedoria, no princípio, Deus estabeleceu leis universais eternas e imutáveis para o movimento dos astros, do ar, das águas, bem como para a composição dos elementos.

E para os seres vivos, estabeleceu que depois de cumprida sua missão, o corpo inutilizado, sofreria a decomposição dai resultando novas combinações e conseqüentemente novas formas de vida, e assim sucessivamente e indefinidamente. “Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma” assim Antoine Laurent Lavoisier (1743-1794) definiu a matéria com muita propriedade e inspiração.

Comprovada esta verdade, não sabemos como encaixar na lei do amor, um corpo que após se decompor pela ação do tempo, que já se transformou em pó, após milhares de anos se recompor tal qual era antes, e a alma ou espírito voltar a utilizá-lo! Agora para toda a eternidade. Cabe pois, ao homem compreender as leis Morais estabelecidas desde sempre pelo Criador, e saber que isto é IMPOSSÍVEL.

Fácil é concluir que tudo é amor. Mas precisamos amar e adorar Deus em espírito e verdade, sem submetê-lo a nossa vulgar interpretação, transformando-o em um ser limitado como nós: Vingativo, tendencioso e pronto para satisfazer nossos caprichos, operando milagres para nosso deleite a um estalo de nossos dedos.

Saiba que Deus está muito além de tudo que possamos imaginar. Deus é Amor e jamais nos faria sofrer. O sofrimento está entre nós, causado por nós, tudo de acordo com nossos atos. “A Vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a graça de Deus não possa protegê-lo” - Chico Xavier.

Se Deus é amor, como iria mandar uns para o sofrimento eterno e outros para gozos eternos? E pasme, para continuar na eternidade, a alma deveria retornar ao corpo que foi abandonado por haver se tornado inútil à continuação da vida.

Veja que confusão seria:

em 7: 9, 10, diz textualmente: “Tal como a nuvem se desfaz e some, aquele que desce à sepultura nunca tornará a subir”. Isto não contraria frontalmente o evangelho de João 5:28,29 mostrado nos quadrinhos acima?

A ressurreição dos mortos, nada mais é do que uma alegoria, que necessita ser analisada com isenção, para descobrir o que o evangelista queria realmente dizer.

Devemos levar em conta que naquele tempo o evangelista falava ou escrevia para um povo rude e belicoso, não podia nem deveria fazer grandes revelações, mesmo conhecendo a verdade. Se não usasse linguagem figurada, estaria atirando pérolas aos porcos.

Estamos no terceiro milênio. Está na hora de repensar nossos conceitos sobre religiosidade, sem a necessidade de trocar uma religião por outra, pois Deus está em todas.

O religioso tem se comportado como um partidário político, julgando que a sua religião é melhor que as demais, tornando-a  um jogo de interesses mercenário e sem fé. 

Neste caso, onde está Deus?

O ser humano precisa se despojar de crenças comprovadamente infundadas. Deus não amará menos um povo, por pertencer a este ou aquele credo religioso. Isto não tem a menor importância, pois todas as religiões têm origem na sua crença em Deus.

Entretanto, até tirar a venda que bloqueia a nossa visão espiritual, e até que se perceba e ame Deus em espírito e verdade, é necessário continuar agregado à doutrina que mais se enquadre no seu mundano e material ponto de vista, até aprender a separar o joio do trigo.

Ridicularizar ou menosprezar uma criatura de outra profissão de fé é um atestado pessoal de pobreza moral e religiosa.

Tomemos como exemplo o Ateu: Ele diz que não acredita em Deus, mas é também seu filho, e amado tanto quanto nós, e tem direito a viver segundo sua crença.  Sabe por quê? Porque o julgamento segundo a lei Divina, não se dá conforme a religião professada, mas, segundos os atos praticados.

Assim sendo, pergunto: Quem está mais próximo de Deus, o Ateu sensível a necessidade do irmão e que o socorre, ou o religioso que o abandona a própria sorte? Alguns religiosos, mal saem do templo e já começam a maquinar contra seu irmão?

Lembre-se, não é a sua freqüência a igreja que o torna um verdadeiro cristão, são os seus atos.

A suprema e eterna bondade do Criador é incompatível com a interpretação da ressurreição dos mortos, produto da mente humana incorporado pela doutrina cristã.

Todo estudo, oriundo de uma crença religiosa neste sentido, é tendencioso e induz ao erro.

É Preciso se posicionar do lado de fora, para poder fazer uma análise com absoluta isenção, e apenas e tão somente apresentar os fatos, sem emitir julgamento.

Vejamos por que!

Pense um pouco, se seu corpo tivesse sido este, você o ocuparia novamente daqui a alguns milhares de anos se ele ainda existisse ou relutaria?
   
Ou se ele estivesse neste monte, você o retomaria?
O simples pensar que iríamos retomar um corpo assim já daria náuseas.

Chocante não é?

Perguntas que não querem calar: Daqui a alguns milhares ou milhões de anos, você ocuparia o seu corpo enfermiço, sabendo que foi leproso, canceroso, aidético, ou que tenha sucumbido por ser portador de qualquer doença infecto-contagiosa?

Ou como reutilizar corpos crucificados e incinerados nas fogueiras de Roma, e durante a inquisição, ou durante o holocausto da II grande guerra? Ainda existe o pó de alguns deles?

O que dizer dos corpos cremados hoje em dia? Como poderia a alma retornar a um corpo inexistente?

Ressalvo casos como o de Lázaro, há quatro dias sepultado, mas não enterrado. Por isto Jesus havia informado aos seus discípulos: - Jo 11:11 - "Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono".

E a filha de Jairo, Mt. 9:24 - "Retirai-vos, que a menina não está morta, mas dorme". 

Jesus com o seu sublime e amoroso poder restabeleceu as atividades físicas daqueles corpos, que estavam adormecidos, e não mortos há milhares de anos como aqueles que hipoteticamente seriam retomados em um possível Juízo Final.
***************************************
A minha fé é sedimentada na busca da verdade.

Por que escrevi este texto? Para despertá-lo na verdadeira fé!

Não faça julgamento precipitado. Primeiro raciocine ou pesquise, depois tire suas conclusões!

Este trabalho representa o pensamento pessoal do escritor, e não foi desenvolvido com o fim de criticar ou contrariar rituais e crenças religiosas. Apenas tenta estimular o desenvolvimento do raciocínio lógico, e o bom senso, coerentes com a verdade. A fé centrada na verdade, é inabalável. É isto que importa.

Escrito por Vicente Almeida
28/08/2012

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

A ABELHA - Por Vicente Almeida


INSETO MARAVILHOSO

Tempos atrás fiz um estudo sobre apicultura, mas nunca desejei me tornar apicultor. lembrei-me de alguns detalhes que naquele tempo me chamaram a atenção e aqui transcrevo.

O mel de abelha foi a primeira substância adoçante da Antiguidade, e já era utilizado pelos Sumérios desde 5.000 a.C. Alguns documentos nos falam que no antigo Egito a apicultura já era explorada 2.400 a.C. Essa exploração era feita de maneira rudimentar e antieconômica, obtendo-se mel e cera em poucas quantidades, não interessando o interior dos enxames, que era quase totalmente destruído no momento da colheita.

Hoje é uma exploração econômica bastante viável, e exige pouco trabalho do apicultor que precisa apenas localizar as colmeias no tempo certo, em lugares estratégicos conforme a florada. Depois é só coletar e envasar o mel para em seguida levar ao mercado consumidor.

Suas pequeníssimas asas batem cerca de 180 vezes por segundo ao percorrer o espaço a uma velocidade 25 km/hora, se distanciando da colmeia até 6 km, a fim de localizar as flores necessárias à coleta do néctar.

Nessas idas e vindas visitam quase quatro milhões de flores e percorrem o equivalente a 39.840 km correspondente a uma volta inteira ao redor da terra, para coletar o néctar e produzir um simples litro de mel. Uma única abelha visita por dia entre 50 e 1.000 flores.

Alguns autores dizem que elas percorrem na verdade, cerca de 350.000 km coletando néctar o suficiente para produzir apenas um litro de mel.

abelha possui cinco olhos, dois grandes laterais e três pequeninos no topo da cabeça. e nunca dorme. É também o único inseto conhecido que produz alimentos consumíveis pelos humanos. 

A rainha é a única na colmeia que tem vida longa, e dura cerca de cinco anos. Se nascerem duas rainhas na mesma colmeia, elas lutarão até que uma morra. A rainha põe até 3000 ovos POR DIA. Durante o seu voo nupcial - único em toda sua vida, copula com até 17 zangões que são expulsos da colmeia após a fecundação da rainha.

De tanto trabalhar e vendo Deus que sua finalidade se cumpriria entre 6 e 8 semanas resolveu que a abelha operária teria essa média de vida, que para o homem equivaleria a uma idade de aproximadamente sessenta anos.

Somente as abelhas fêmeas trabalham na produção do mel. Os machos que insistirem em permanecer na colmeia após a fecundação da rainha, serão expulsos no verão quando o mel escassear, e os que insistirem em permanecer serão triturados.

Ainda precisamos considerar outro papel muito importante que a abelha desempenha na natureza. À medida que busca seu alimento nas flores, auxilia as plantas na sua reprodução, por um processo chamado polinização.

Um enxame pode ter até 100.000 abelhas, por isto devemos manter silêncio ao percebermos sua aproximação, principalmente se estiverem de mudança.

No mundo existem mais de 20 mil espécies de abelhas. Dentre estas um grupo que possui o ferrão atrofiado e por isso, são chamadas “abelhas sem ferrão” que será objeto de outra postagem.

Aqui tratamos apenas da “italiana”, também conhecida como “africanizada”, que foi introduzida no Brasil entre os séculos XIX e XX.

Pois é! Elas têm todo esse trabalhão, o apicultor faz a coleta do mel, envasa, vende e bota o dinheiro no bolso dizendo que foi produção própria. E o consumidor ao colocar uma colherada de mel na boca, está muito longe de perceber ou não se interessa em conhecer a labuta desses pequenos e benfazejos insetos. Ninguém lembra si quer de agradecer a Deus por elas existirem. POOODE?!

Mas vejamos agora a parte boa de tudo isto:

O consumo de mel de abelhas é altamente benéfico para o nosso organismo e a nossa saúde, pois está provado que é uma potencial fonte de energia, além de estimular a formação de glóbulos vermelhos, porque possui ácido fólico, ajudando, também, a incrementar a produção de anticorpos.

É antisséptico, antibiótico, conservante e adoçante natural. Se consumirmos regularmente mel de abelhas, estaremos enriquecendo a nossa alimentação. Já que, tendo um efeito emoliente, auxiliará a digestão, vivificará e fortalecerá o tórax, o sistema nervoso e os pulmões.

Cura inflamações nas articulações e nos tendões, especialmente LER ou DORT (Lesões por Esforços Repetitivos e Distúrbios Osteo-musculares Relacionados ao Trabalho). Essas doenças são caracterizadas pelo desgaste de estruturas do sistema músculo-esquelético que atingem várias categorias profissionais. 

Pessoalmente, há 22 anos lidando com informática tive sérias crises nas articulações durante 2003 a 2007,  e obtive excelentes resultados com o uso do mel de abelha, pois, meus antes doloridos dedos e um joelho readquiriram flexibilidade como se a lubrificação articular houvesse se restabelecido. Agora tenho medo de suspender o consumo, mas suspendi definitivamente o consumo de açúcar.

Mel de abelhas contém  vitaminas “B, C, D e E”, além de minerais, água e enzimas. Seus efeitos sobre a pele são excelentes. Cura borbulhas, úlceras e todo o tipo de impurezas. 

NÃO DESPERDICE ESTE PRESENTE DA NATUREZA.

Escrito por Vicente Almeida
27/08/2012

domingo, 26 de agosto de 2012

TÚNEL DO TEMPO - Por Vicente Almeida


TÚNEL DO TEMPO


UM dia desses fiz uma longa viagem a certo país europeu, onde conheci várias cidades, destacando-se uma que era considerada a cidade dos inventores. Ali se inventava de tudo, e vi muitos instrumentos, equipamentos e objetos pitorescos, impressionantes e às vezes até inúteis para o nosso tempo, mas, os inventores sempre demonstravam a sua utilidade e necessidade, hoje ou no futuro. 

O que me impressionou foi mesmo um inventor isolado dos demais, que o chamavam de “Inventor Maluco”, pois ele dizia a todos que construíra maquinas do viajar no tempo, podendo ir ao passado e ao futuro e conhecia vários lugares do planeta. A população ria dele, mas ninguém desejara testar seus inventos.

Não davam crédito as suas histórias mirabolantes. Então como eu estava distante da minha terra, a passeio com muito tempo para contemporizar, resolvi visitar o Inventor Maluco e tirar minhas próprias conclusões.

Disseram até que ele falava muitas línguas esquisitas, inclusive o português, um tanto confuso, mas dava para entender. Fui lá e o abordei, e para inicio de conversa perguntei: O Senhor conhece o Brasil?

- Barasil – Caraato! – respondeu ele. E continuando disse: 

- Sim já fui lá para conhecer Caraato!

- Ah, o Senhor fala da cidade do Crato, lá no Estado do Ceará, não é?

- Non senhor, eu falar da cidade Caraato. Aí todo orgulhoso foi à sua máquina virtual e me mostrou umas fotos dizendo: - Aqui cidade Caraato, Já tive lá!

Fiquei inacreditavelmente surpreso, pois uma das fotos era do recém-inaugurado monumento a Cristo Rei, na Praça Francisco Sá, em Crato-Ceará, onde há mais de 70 anos havia majestosos e bem cuidados jardins e no fundo a Estação Ferroviária - RVC. Outras duas eram da Praça da Sé e da Casa da Câmara. Contudo não havia ruas calçadas ou residências próximas, só a estação ferroviária. Estranhei!

Perguntei: Em que ano o senhor esteve lá?

Em 1.938, respondeu ele com ar engraçado! era um dia de festa.

O quêêê! O senhor nem parece ter sessenta anos, como esteve lá antes de nascer e tirou esta foto?

- Non, non, e non, disse ele, vi esta foto em um livro virtual na biblioteca local. Depois que me disseram haver no Barasil um monumento ao Cristo Rei. Copiei e coloquei na minha maquina de viajar, depois foi só ligar o meu rastreador sideral, então ele localizou e me levou até lá onde estava o monumento, exatamente como era na foto, e o ano era 1938. 

Ah, entendo, e entre incrédulo e sarcástico falei:
- O senhor quer me dizer que viajou 74 anos para trás e pousou no Brasil, na cidade de Crato!
- Arrisquei - Olhe me desculpe mas não consigo acreditar em viagens no tempo. O Senhor pensa que esteve lá, mas somente sonhou com o monumento, arrisquei mais uma vez!

Então ele riu e disse:

Tu non acreditar nin eu, como meus vizinhos aqui. Tu precisar ver com tuas vistas. Vem com eu, e vamos lá de novo é a única cidade no Barasil que tem um Cristo Rei de braços abertos.

Ai criei alma nova para contestar e arrisquei: O senhor sabe que não é verdade. Lá no Brasil há outro monumento grandioso no Rio de Janeiro com o mesmo Cristo de braços abertos.

Então ele se zangou e disse:
- Aquele lá non ser Cristo Rei ser Cristo Redentor. Ser muito diferente viu! Cristo Rei ser pequeno, uns trinta metros de altura e Cristo Redentor ser muito grande, uns mil metros de altura, e parece até querer abraçar o mar. Já tive lá também! E aborrecido se calou. 

Resolvi não questionar mais, pois sabia que ele estava realmente falando de Crato, minha cidade natal.

Para encerrar o assunto, comentei:
- Muito bem, o senhor conheceu a cidade de Crato naquele tempo, mas hoje é totalmente diferente e o senhor nem sabe das novidades por lá.

Sei sim, - respondeu ele:
- Agora estar fácil por que poder ver tudo sem sair daqui. Sabe, Lá tem comunicador virtual chamado “Laboratório Sideral”, e tem outro chamado Blog do Caraato, então aqui ficar sabendo de tudo que acontecer por lá.

Laboratório Sideral falar dos pensamentos do seu administrador que inventa histórias para ajudar nosso raciocínio. Tem uma que fala sobre um crime feito por um preguiçoso e outra que fala de um sujeito que vendeu um animal morto e ganhou muito dinheiro.

Blog do Caraato falar de tudo que acontecer em todo o país Barasil e tem muitas fotos. 

- Ele riu muito e disse: - Você dizer ser do Barasil e não saber de nada.

- Essa doeu! Então resolvi abrir o jogo e expliquei para ele que havia nascido e residia exatamente na cidade de Crato-Ceará-Brasil.

Então ele falou:
- Você querer ver o Caraato daquele tempo, com seus próprios olhos como dizer por lá?

Naquela hora tremi na base. Fui convidado a viajar com um maluco para o passado, mexi com os brios dele e ele queria provar que não estava mentindo. A tentação era grande. Não sei se vou, não sei se fico. Decidi: Vou!

Entramos em seu laboratório especial, onde havia duas pequenas máquinas cheias de leds, botões, had fones e monitores parecendo dois pequenos corredores. Dentro de uma havia dois assentos e nenhum pedal ou direção. Pareciam muito com uma cabine rudimentar de um Teco Teco. a diferença estava na tecnologia.

A outra maquina era semelhante à primeira, mas havia um painel com números a partir de 2012. Entendi que eram uma sequencia de anos. Então me dirigi para ela e o Inventor Maluco me puxou e disse: Essa ai non, ela levar para o futuro, mais ainda non funcionar. Nós ir viajar nesta, e apontou a que tinha os dois assentos.

Fiquei arrepiado e perplexo com a sua lógica. Quem vai discutir com um maluco não é?

Muito bem, tomamos lugar no seu Rastreador Sideral ou poderemos chamar Túnel do Tempo?

Feito o sincronismo da viagem, mal iniciamos e já chegamos ao século XX, exatamente no ano de 1.938, num piscar de olhos, não deu nem tempo de falar: Ôxente?

Praça Francisco Sá - Setembro de 1938

Vi o monumento, e de princípio, constatei serem verdadeiras as afirmativas que o Inventor Maluco havia feito sobre o monumento do Cristo Rei logo após sua inauguração.

Constatei que o movimento era intenso naquela hora, pois chegamos em um momento de partida do trem. Era cinco da manhã e na praça havia muita gente, lá se realizavam as despedidas dos que iam embarcar na Maria fumaça - nome atribuído a locomotiva movida a lenha. Os embarques e desembarques na Estação pareciam um dia de festa. Todo mundo ia lá pra ver.

Permanecemos alguns instantes por lá e fomos fazer um tour pela cidade, que naquele tempo era minúscula e o comércio funcionava apenas na rua central denominada Dr. João Pessoa.

Vi a rua Tristão Gonçalves antiga, ainda sem aquela grande vala ao centro e me surpreendi pois pensei que a vala sempre existira.

Passamos pelo Mercado Público construído ainda no tempo imperial; Lá se vendia de tudo principalmente a carne.

Visitamos a Praça da Sé que ainda parecia um terreiro, sem calçamento - Não havia ainda a praça, somente o pátio da Igreja da Sé, também denominado Quadro da Matriz.


Espiando o quadro da Matriz ficava a casa da câmara ou Passo Municipal, também construída nos tempos do império. Durante muito tempo foi ocupada pela Prefeitura, Câmara e Tribunal do Júri. No térreo funcionava a cadeia pública.

Toda a cidade era muito simples e minúscula ainda. Chegamos ao  amanhecer e os habitantes estavam colocando cadeiras nas calçadas para conversar com os vizinhos e transeuntes.

A iluminação pública era muito precária e os postes eram de madeira.

Vendo o passado da minha cidade fiquei a imaginar como seria naquele tempo o restante do Brasil, que o Inventor Maluco, insistia em chamar de Barasil.

Mas havia um tempo estabelecido para o regresso e precisávamos voltar ou ficaríamos presos no passado. Perdi assim a chance de visitar mais localidades do Crato antigo decantadas nos anais da história da cidade.

Manifestei o desejo de copiar algumas informações ou tirar fotos para mostrar ao leitor, e assim contestar alguns livros de histórias que deturpavam os fatos reais.

Mas o Inventor Maluco, do alto da sua experiência esclareceu que era impossível, pois, estávamos invisíveis aos olhos materiais, e não podíamos trazer para o presente, fotos de fatos do passado, com câmeras fotográficas modernas. As fotos não seriam visíveis.

Além do mais se usasse o flash, o lampejo inesperado e de origem desconhecida poderia desencadear uma catástrofe temporal, criando um paradoxo, cujo resultado seria uma reação em cadeia, desembaraçando a estrutura de contínuo de tempo e espaço, gerando o caos no passado e desconstruindo o futuro.

- Gente! Pasmei! Não entendi nada do que ele falou, mas também não questionei. Percebi que não era tão maluco assim como todos supunham. Era apenas um excêntrico, com muitas ideias e informações a transmitir, mas o mundo ainda não estava preparado.

E regressamos!

Nossa viagem foi fantástica.

Passamos ainda uns oito dias por aquele país. Ao me despedir do Inventor Maluco agradeci pelo fantástico passeio. Ficamos amigos e prometi que nas próximas férias voltaria lá para mais uma viagem ao futuro.

Sabe o que ele falou?

Non precisa vir aqui...
E me deu um pequeno aparelho dizendo:
- Quando querer viajar no tempo pressione este botão vermelho e digite no teclado que surgirá. Então eu vir e nós fazer novas incursões no passado. E na próxima viagem você poder levar algum incrédulo amigo... ou amiga.

E finalizando disse: Agora você acreditar não é?

Escrito por Vicente Almeida 
26/08/2012

sábado, 25 de agosto de 2012

ALZHEIMER, VISITA INDESEJÁVEL - DEFENDA-SE - Por Artemisia


EU E MEUS BOTÕES

Todos os dias eu brinco com a vida, dizendo para ela que pretendo retardar a Alzheimer. E não estou brincando.

A minha mãe, hoje com noventa e cinco anos, viveu bem por quase noventa, até que um dia lá vem ela, a senhora Alzheimer, com toda sua imponência e ataca sem piedade.

dias venho pensando nela. Mas não vou respeitá-la. Tudo que puder, farei para contrariá-la.

Não permitirei que tome conta de mim. Soe muito curiosa com relação a tudo que se refere à D. Alzheimer. Exercícios bem simples são indicados para retardar a sua visita, já que não há prevenção.

Li hoje no jornal, uma matéria sobre o assunto. O jornal diz que segundo a Associação Internacional da Doença de Alzheimer (ADI) 35,6 milhões de pessoas no mundo convivem com a enfermidade (dados de 2010). Em 2030 poderá chegar a 65,7 milhões e em 2050, a 115,4 milhões. É incurável e apavorante. Porém pesquisadores do mundo todo estão empenhados em ao menos facilitar o diagnóstico e apontar seus riscos.

algumas dicas que nos ajudam a mantê-la um pouco distante e melhorar a nossa memória.

São elas:

Prestar mais atenção ao que nos é dito;

Cuidar bem da nossa alimentação comendo várias pequenas refeições ao dia, para evitar baixa nos níveis de glicose no sangue;

Dormir bem, em média sete ou oito horas por noite;

Sonhar... “Sonhar é outra parte do processo de alívio do estresse, que limpa a mente e permite um aprendizado mais rápido”;

Organizar o que for importante ao nosso redor;

Repetir a mesma tarefa ou frase. “Aquele bom e velho hábito de repetir em voz alta continua sendo um dos melhores métodos de memorização”. O mais importante é continuar aprendendo para exercitar a memória.

Por fim ter um hobby e ler, também ajudam a não encontrá-la logo ali na esquina da vida.

Além dessas dicas valem aquelas já bem conhecidas:

Mudar o trajeto; Comer; Escrever; Desenhar com mão contrária à de costume.

Sabe aquela brincadeira de criança, que os adultos brigavam com a gente e diziam que estávamos vendendo nossa mãe para o diabo? Pois é; Andar de costas é um ótimo exercício.

Veja bem, o que vale é quebrar a rotina, o normal, o habitual, e fazer diferente, o anormal.

Não é legal a gente saber disso, e deixar D. Alzheimer a nos esperar lá longe... Bem longe?! 

Dona Edvirgens, minha mãe e de mais dez filhos, completa hoje, neste 25 de agosto, 95 anos, e rogo a Deus que ilumine sempre os seus dias.

Quanto a Dona Alzheimer que se cuide, ela não vai me pegar. Desde muito cedo comecei a construir minha trincheira defensiva.
****************************************

Texto em perfeita sintonia com a meta do Laboratório Sideral. Copiado do Blog: www.artemisia-palavraspalavras.blogspot.com.br
Mediante autorização da administradora.

Escrito por Artemísia
25/08/2012

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

NOSSA RAÇÃO DIÁRIA - Por Vicente Almeida


NOSSA RAÇÃO DIÁRIA - DE ONDE VEM?

Para a sobrevivência do corpo, o reabastecimento diário com substancias nutricional é indispensável. Há tempos venho meditando sobre a nossa alimentação, e os caminhos preparatórios e necessários a sua produção.

Por enquanto esqueçamos os oceanos, mares, rios e lagos e falemos um pouco da produção na superfície da terra.

Normalmente, a ideia, é a de que compramos e ingerimos todo e qualquer alimento que venhamos a necessitar, além daqueles que cultivamos de forma caseira, e ponto final!

Mas ai está o terrível engano. Não poderíamos dispor de todo e qualquer alimento que consumimos, mesmo que fôssemos abundantemente ricos, sem a concorrência de milhares de pequenos e devotados trabalhadores visíveis e invisíveis, exercendo harmonicamente e laboriosamente suas funções destinadas pelo Criador. E essas tarefas tiveram inicio, milênios antes de existirmos. – Você já pensou nisto?

Por mais poderosos que fôssemos e com todos os recursos à nossa disposição, não seríamos capazes de sozinhos produzir o nosso alimento diário. Poderemos apenas, dar o toque final. Nem mesmo um fruto capturado no pé, resulta do trabalho de uma única pessoa, ou de um único momento.

Gostaria de me fazer entender:

A cadeia produtiva do alimento tem início centenas ou milhares de anos antes da sua colheita, com o incansável trabalho de um número sem conta de pequenos organismos aparentemente rudimentares, habitantes do nosso subsolo, além daqueles, invisíveis aos olhos humanos, mas que convivem conosco na superfície, e pouca importância damos por que não os observamos trabalhando - Exceção para os estudiosos do tempo e da terra.

São exatamente essas criaturas, que revolvendo a terra, ou decompondo resíduos orgânicos, dão os primeiros passos para a fertilização do solo. E nessa transformação, gera os nutrientes necessários a germinação das sementes, que irão se transformar em produtos alimentícios como: cereais, frutos e legumes.

Essas criaturas, não assalariadas, trabalham sem cessar cumprindo sua destinação na natureza, e não se rebelam nunca.

Vejamos alguns:

AS BACTÉRIAS. Muitos acham que elas só servem para causar doenças, mas a natureza se serve desses seres, que juntamente com os fungos, realizam o processo de decomposição transformando a matéria orgânica morta, e devolvendo-a ao solo em forma de matéria inorgânica. Assim se efetua a reciclagem, melhorando as propriedades e o rendimento do solo.

AS MINHOCAS são importantíssimas no campo da agricultura, com grande influência no aumento da fertilidade do solo, e consequentemente, na produtividade agrícola, devido principalmente à sua capacidade de transformar o nitrogênio de forma assimilável pelas plantas, além de melhorar as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo, perfura-o e, à medida que cava através do solo, vai formando galerias subterrâneas e descompactando-o, propiciando a renovação do ar e a drenagem. Isso permite que ocorram atividades químicas em ritmo mais acelerado. Além disso, as minhocas comem terra, e à medida que a terra passa pelo seu sistema digestivo, vários materiais são digeridos ou decompostos em formas mais simples.

AS FORMIGAS também contribuem para a fertilização do solo, pela renovação do substrato orgânico - nutriente que serve de base para o desenvolvimento de um organismo. Em áreas naturais elas fazem parte do equilíbrio ecológico, mas, em ambientes alterados pelo homem, elas agem como verdadeiras pragas, - Infelizmente!

Além desses e muitos outros organismos, o solo ainda não estaria apto a produzir sem a concorrência dos elementos naturais básicos como a água e o ar.

A influência: total e absoluta, solar e lunar na superfície terrestre também é indispensável à germinação das sementes, cultivadas ou não.

Por último temos o trabalho humano que, no decorrer do tempo e de acordo com as necessidades, desenvolve as mais variadas técnicas de preparo da terra, plantio e colheita, ampliando a capacidade produtiva, minimizando a escassez.

Quando o solo se torna improdutivo, o homem utiliza fertilizantes naturais conhecidos, ou artificiais. Infelizmente, ao utilizar fertilizantes artificiais ou produtos químicos de combates as pragas contamina o meio ambiente com reflexos danosos e avassaladores a si e a natureza.

A nossa refeição diária, não é obtida por que possuímos dinheiro para pagar o que quisermos. Quem pensa assim comete um tremendo engano. Poderíamos ter todo o dinheiro, mas, morreríamos de fome em três tempos, não fosse a distribuição natural das tarefas atribuídas pelo Criador a cada pequeno organismo, o qual cumpre fielmente a sua finalidade, indefinidamente, e poucos percebem este fato.

Observemos que, mesmo sem trabalhar, o ser humano de alguma forma recebe diariamente a parcela necessária a sua subsistência. Deus, nosso criador sabe que isto é indispensável, então, não deixa faltar e nos envia pelos meios mais inesperados possíveis. “ISTO É AMOR”.

Por tanto devemos aprender a agradecer a Deus ao nos sentar à mesa para as refeições diárias, por que elas são o fruto de muito labor, com a contribuição de milhares de seres vivos. Insisto m ais uma vez: Não é somente por causa do nosso dinheiro que  vamos nos banquetear. A providencia divina prevê para prover com muita antecedência, para que nada nos falte.

PENSE NISTO!
Escrito por Vicente Almeida
24/08/2012