OBRIGADO PELA VISITA

O LABORATÓRIO SIDERAL leva até você, somente POSTAGENS de cunho cultural e educativo, que trata do universo; das gentes; das lendas; das religiões e seus mitos, e de forma especial, dos grandes mistérios que envolvem nosso passado. Contém também muitos textos para sua meditação. Tarefa difícil, mas atraente. Neste Blog não há bloqueio para comentários sobre qualquer postagem.

A FOTO ACIMA É A VISÃO QUE TEMOS DA CHAPADA DO ARARIPE, A PARTIR DA NOSSA "VILA ENCANTADA".

sábado, 16 de março de 2013

O FINAL DO FIM DO MUNDO - Por Vicente Almeida

O FINAL DO FIM DO MUNDO

"Texto não recomendado para pessoas facilmente impressionáveis".

OXENTE!!! Estava andando pela rua em pleno dia e de repente tudo escureceu como se o sol houvesse desaparecido no firmamento mesmo sem ser noite. Dai a pouco a lua foi vista no céu, airosa e brilhante, mas em  alguns instantes, já não estava  mais resplandecente!

De imediato observamos que os serviços de comunicação de massa, não haviam informado à população, sobre a ocorrência deste fenômeno tão inesperado e assustador neste dia.

Uma nuvem escura e densa avançava sobre a terra. O dia virou noite de uma negritude estranha e sem luar. Essa negritude parecia envolver todo o planeta, a ponto de nada se enxergar a poucos metros de distância.

Os homens usando apenas a audição, o tato e o conhecimento dos lugares onde se encontravam, receosos e atônitos procuravam abrigos, em casas ou qualquer prédio próximo, considerando-os seguros.

Todos os que se encontravam nas ruas e praças ou em qualquer lugar fora de casa buscavam se proteger sob algum teto, embora ainda não atinassem de que estavam se protegendo.

Os seres de vida noturna de repente emudeceram. Os cães uivaram uma única vez emitiram um grunhido indescritível e silenciaram; Os gatos miaram assustados e estancaram nos telhados onde se encontravam; A coruja silenciou; A perereca emudeceu; O grilo parou seu trinado ensurdecedor.

Tudo... Tudo parou... Silêncio absoluto. A brisa rasteira e amiga também desapareceu, se escondeu, nenhuma folha se movia. Pois é... Até o vento havia parado.

E em todos os prédios, residências, comércio, indústria, nenhum barulhinho. Pela primeira vez na história da humanidade ficamos absortos ouvindo apenas o som do silêncio, apreensivos, assustados, angustiados! Algo muito grave estava para acontecer em breves instantes!

Parecia que a tão propalada PROFECIA, anunciada há milênios ia se concretizar. Todos a conheciam em profundidade, outros por ouvi dizer. Ouvi uma mãe aflita escondida em algum ponto, rodeada de filhos tentando ampará-los e confortá-los. Outra coisa não podia fazer a não ser esperar. As crianças não sabiam o que estava acontecendo, mas o seu comportamento de insegurança e temor fazia com que todos tentassem subir até o pescoço materno pisoteando os que estavam mais abaixo.

A interrogação maior foi quando faltou energia em todos os lugares como se alguém ou algo houvesse desligado a força elétrica. Muitos correram tateando em busca de uma vela e uma caixa de fósforos. Encontraram-nas, mas curiosamente o fósforo não acendia. Aquele atrito que gerava a faísca e a chama em contato com o ar nem siquer emitia som como a colaborar com a negritude do momento. Este fato aumentou por demais o pavor reinante nas criaturas.

E se ouvia murmúrios e lamentações oriundos de todas as partes. 

Grande medo, terror imenso, nada mais se compreendia. Restava apenas aguardar... Esperar.

Mas esperar o que? Todos estão atônitos, não há informação do que se passa mundo a fora nem o que poderá acontecer. Os meios de comunicação estão paralisados, assim como tudo. O que fazer...? Esperar e esperar, nada mais!

As horas passam, melhor dizendo; passavam, todos os relógios pararam. O tempo parou e nada mais se move sobre a terra, somente os corações humanos estão disparados quase a saltar do peito. Também estou aflito, por isto deduzo como estão às outras pessoas.

Curioso é perceber que até a própria terra parou no espaço e já começamos a ouvir gritos horripilantes de dor, agonia e desespero vindos de todas as direções...

... O tempo passa... Ou não passa? Não sabemos! Mas sentimos que a terra começou novamente a se mover, cambaleante, como louca, como uma tonta e vai aumentando sua velocidade.

Agora sim, ouvimos um barulho ensurdecedor vindo de todas as direções. A terra vibrava, ou tremia... Não sei! Todas as construções estavam se desmoronando e aniquilando todos aqueles que procuraram abrigar-se sobre seus tetos. E ouvíamos as grandes árvores caindo ao solo com estrondo causando mais ruínas e dores.

Aqueles que saíram para as ruas desapareceram nas grandes fendas que se abriam em toda parte e ninguém via por que continuava muito escuro.

Quanta aflição, quanta angústia. O caos estava instalado.

Começamos a ouvir outro rumor ensurdecedor de algo que velozmente se aproximava. Era o barulho das águas do mar em revoltosas marés, que saindo do seu leito natural, se projetavam em terra firme avançando cada vez mais rápido inundando tudo e extinguindo a vida por onde passavam.

É a PROFECIA se realizando e raríssimas pessoas deram ouvidos às advertências dos antigos, todos brincavam quando se falava que a PROFECIA estava prestes a se realizar.

Zombavam do assunto. Ninguém quis gastar um pouco do seu tempo, se preparando espiritualmente para o momento que ora estamos vivenciando. Por isto quase esqueceram da PROFECIAEis que ela está se realizando e pegou a todos completamente desprevenido.

Era o fim! O fim de uma era turbulenta, de intrigas, de maldades. Em fim, era o final dos tempos para uma humanidade corrupta, corrompida e sem jeito.

Afinal Deus estava removendo da terra o animal mais nocivo de todos os tempos: O ser humano, mas não se tratava de punição. Em dezenas de milhares de anos, todas as advertências foram insuficientes para demovê-lo de suas maldades... Sem nenhum sucesso!

De repente o céu se abriu, a nuvem se dissipou e clareou novamente a terra, uma claridade que ofuscava os sobreviventes, obrigando-os a não olhar para cima. Aquele que tentasse olhar para o alto ficava imediatamente cego. Era com se a camada de ozônio tivesse desaparecido completamente e quem não estava à sombra sentia a pele arder e queimar.

Concluí que a humanidade estava à beira da aniquilação total, não sobreviveríamos...

A PROFECIA se cumpria e nada mais podia ser feito. A raça humana despedia-se da terra.

Foi ai que aconteceu o inesperado!

Alguém bateu à porta do meu quarto acordei e não consegui participar do final do fim do mundo.

Bom, não faz mal, se o mundo tivesse acabado, esta história não seria contada e não haveria leitor! Felizmente você acaba de ler. Ufa, que alívio!
*****************************************
Este é mais um texto de ficção imaginado pelo autor. Qualquer semelhança com a realidade presente ou futura será mera coincidência. Ou não será coincidência?

Escrito por: Vicente Almeida
16/03/2013

4 comentários:

  1. É...

    Fizemos este texto pensando em Luiz Lisboa, que há dois anos vem solicitando uma história fantástica sobre o final dos tempos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês andam com a imaginação muito fértil, parabéns!

      Excluir
  2. É...

    Gente:

    Esta foi a única forma de descrever o fim do mundo. Não poderia narrar um fato estando no olho do furacão. Então só poderia ser através de um sonho.

    Contudo é bom saber que, fatos como o narrado, mesmo parecendo fantástico podem acontecer em qualquer astro, habitado ou não. Com um estudo sobre a evolução do universo, saberemos o que a ciência já descobriu sobre imensuráveis catástrofes planetárias e estelares. Mas, o que nos parece catástrofe, na verdade é o universo evoluindo continuamente, ininterruptamente, seguindo as leis traçadas pelo Criador.

    Atualmente a ciência estuda o planeta Marte, onde parece que a vida floresceu e desapareceu em épocas remotas. Tudo indica que por lá havia água em abundância, que sumiu por alguma razão desconhecida.

    ... E SE parte de seus habitantes tipo humanos, que aceitaram os sinais indicadores de extinção da vida e cientificamente mais evoluídos que nós tiverem migrado para cá?

    Normalmente, em planetas habitados, antes de uma grande catástrofe, seus habitantes são informados através de seus profetas e de reações visíveis aos descontroles humanos que se excedem no livre arbítrio.

    Aqui mesmo na terra recebemos sinais de todas as formas possíveis, mas fazemos ouvidos moucos. A natureza frequentemente reage e nos chama a atenção para a degradação do solo, devastação das florestas, poluição de rios, oceanos, mares, lagos e o ar. Tudo isso em nome da GANÂNCIA. Então é claro que teremos consequências colhendo sempre o resultado daquilo que for semeado.

    Fantástico não é? mas verdadeiro!

    ResponderExcluir
  3. É, compadre Vicente."Tudo indica que por lá havia água em abundância,que sumiu por alguma razão desconhecida". No nosso planeta a água também pode sumir mas há quem escreva assim.ATENÇÃO "O fim do mundo em 2012 foi cancelado no Brasil,pois o país não tem estrutura para receber um evento desse porte"

    Vicente um abraço.

    ResponderExcluir