OBRIGADO PELA VISITA

O LABORATÓRIO SIDERAL leva até você, somente POSTAGENS de cunho cultural e educativo, que trata do universo; das gentes; das lendas; das religiões e seus mitos, e de forma especial, dos grandes mistérios que envolvem nosso passado. Contém também muitos textos para sua meditação. Tarefa difícil, mas atraente. Neste Blog não há bloqueio para comentários sobre qualquer postagem.

A FOTO ACIMA É A VISÃO QUE TEMOS DA CHAPADA DO ARARIPE, A PARTIR DA NOSSA "VILA ENCANTADA".

quarta-feira, 25 de julho de 2012

O DIABO EXISTE ?! - Por Vicente Almeida

DIABOS CAPETAS E DEMÔNIOS

Pintura de Gustave Dore

Diabo com certeza não é o chefe do mal deste mundo. Acredite ou não, diabo, demônio, demo, belzebu, gênio do mal, príncipe das trevas, satanás, satã, fute, escabroso, capeta, o maldito, lúcifer, o coisa ruim, o capirôto, o tinhoso, o tentação, o anjo do mal, e outros alcunhos que não lembro, é uma criação mental!

Esse ignominioso ser, um tanto ou quanto confuso, foi aos poucos tomando forma, por que a humanidade precisava de meios para explicar a origem do desvio de sua conduta. Assim sendo, eximindo-se da responsabilidade pessoal atribuíram a procedência do mal, a um ser independente, fora da materialidade.

Nossos antepassados dos primeiros tempos, analfabetos e rústicos, acreditavam em qualquer coisa que alguém mais esperto inventasse e transmitisse a eles, depois repassavam às gerações seguintes como verdades.

A credibilidade, a ignorância e o temor da morte, produziram um ambiente favorável para que pessoas mais esclarecidas criassem a figura mitológica que hoje conhecemos como "o diabo".

Ele povoou a mente de bilhões de crianças em todo o mundo, intimidando-as graças à indução dos pais que, com sua religiosidade apostólica romana, acreditavam sem questionar. Fui uma dessas crianças atormentadas e intimidadas pela visita do demônio se pecasse.

Mas o diabo, uma figura, diga-se de passagem, digna das histórias de terror, que a crendice popular transformou em um ser monstruoso com casco de animal, chifres, rabudo, orelhudo, peludo, asas de morcego, dentes agudos e usando um tridente, e Instalando-o em algum lugar, administrando um fogo eterno e abrasador, onde em grandes tanques de enxofre fervente colocavam as almas dos pecadores, e comodamente por toda a eternidade o diabo não teria outro oficio que não fosse o de atormentar aquelas almas.

Gravuras foram produzidas para ilustrar o demônio e seu inferno particular, aumentando nas pessoas o temor da chama eterna que queimava sem consumir.

Passados milhares de anos, não há provas de que alguém em algum momento tenha visto este ser, a não ser quando suas mentes induzidas pelas imagens demoniacais descritas pelos membros da igreja e se sentindo culpados por algum ato desairoso tinham pesadelos e visões que depois, descreviam como demoníacas.

O mal existe sim, isto é inquestionável, e o sofrimento como conseqüência também é inquestionável, mas esse sofrimento é proporcional ao ato praticado. Toda a literatura do passado e todos os estudos teológicos, jamais conseguiram provar a existência do diabo, nem localizar o seu inferno particular.

Se aceitarmos Deus como: Onisciente, Onipotente, Onipresente, infinitamente justo e misericordioso, não poderemos crer que ele condene ou abandone alguns da sua criação ao sofrimento eterno, por que pecaram digamos, durante cem anos. Ora, cem anos, em relação à eternidade, tem duração menor que o acender e apagar de uma centelha. Então pelas faltas cometidas neste ínfimo tempo, devemos sofrer eternamente? Não, isto é incompatível com a justiça divina!

Sabemos que Deus é o criador de todas as coisas, o alfa e o ômega, o princípio e o fim. Logo se o demônio existisse de verdade, Deus seria o seu criador. Correto? Mas Deus não criou o mal, os teólogos e estudiosos o criaram com a finalidade de exercer seu domínio sobre o povo.

Você poderá dizer: "Mas está na Bíblia".

Claro, mas precisamos lembrar que nem todas as palavras das escrituras podem ser aceitas literalmente. Há muita alegoria, há muito que estudar para compreendermos o seu conteúdo.

A Bíblia já foi traduzida para mais de 2.160 idiomas e dialetos, será que cada tradutor foi fiel?  Não! Por que muitas palavras não têm o mesmo significado em todas as línguas, daí a necessidade de omiti-las ou substituí-las por outras que alteravam completamente o sentido histórico do texto.

palavra anjo ou querubim, por exemplo, significa perfeição, e segundo a religião são eles os mensageiros entre Deus e os homens. Criaturas assim, não pensam o mal sob nenhuma forma, logo não poderiam se rebelar contra Deus e virar maus.

Poderemos dizer que Jesus Cristo, foi um anjo que veio em missão transformadora dos corações terrenos. Mas, naquele tempo, a selvageria ainda predominava e Ele foi constrangido, humilhado e assassinado, nem por isto se rebelou.

Anjos assim possuem um adiantamento moral além do nosso conhecimento, e está com Deus e em Deus, não podendo portando se rebelar, nem se tornar mau. Isto é incompatível com a justiça divina, o ser imperfeito pode se tornar perfeito, mas o ser perfeito jamais poderá se tornar imperfeito, logo o mito satanás e seu reinado é uma criação humana e não divina.

Jesus Cristo ensinou que “A cada um será dado segundo suas obras”. Igualmente poderemos entender que o sofrimento será purgado pelo tempo necessário ao ressarcimento do débito moral contraído por algum ato danoso praticado contra si ou seu semelhante. Não mais!

Nossa pretensão não é criticar ou discutir religião, nem causar escândalos, mas encontrar a verdade sem mitos e medos, nem a imposição de preceitos humanos, dogmáticos e taxados como inquestionáveis.

Deus não muda as regras da criação em nosso benefício, pois são regras eternas e imutáveis. A nós compete procurar compreender essas regras e seguí-las resultando daí nossa permanente paz de espírito.

Jamais consegui acreditar no diabo nem nas penas eternas. Nunca acreditei que Deus fosse capaz de nos abandonar em qualquer situação.

Contudo, no seio das religiões, os mitos tem a sua razão de ser, e foram muito utilizados na antiguidade, a fim de conter impulsos quase indomáveis para o mal.

Escrito por Vicente Almeida
25/07/2012

3 comentários:

  1. Eh...

    Gostei de ver como o povo tem medo de um mito chamado demônio ou o nome que lhe quiser por.

    No decorrer de milênios, esta é uma das maiores lavagens cerebrais da história do cristianismo, que passa de pai para filho em sucessões contínuas e indefinidamente.

    Em 35 dias, o acesso a esta página foi o menor de todos, apenas sete até os dias de hoje, significando que não foi visualizada.

    Por que será que as pessoas têm tanto medo da verdade?

    Por que será que aqueles que se dizem cristãos deixam de crer em um Deus amoroso e fiel, para acreditar em um mito criado por conveniência.

    O pior é que a este mito foi dado vida eterna e poder para penalizar as almas eternamente, sem considerar um tempo para o fim do sofrimento!

    Você acha que Deus permitiria isto? Então não acredita na sua INFINITA misericórdia!

    Verdadeiramente, poucos acreditam em Deus, mas a maioria acredita no diabo. Puuxa!

    Por que afirmo isto?

    Porque estudei todos os meios e não encontrei uma forma de encaixar este mito na realidade da vida sem negar a existência de Deus.

    Para amar a Deus em espírito e verdade e de MISERICÓRDIA INFINITA tenho que negar a existência do demônio como um instrumento de Deus para aplicar eterno sofrimento a alma, por que isto é um contra-senso.

    Jesus afirmou que não poderíamos amar dois senhores ao mesmo tempo. Um, inexoravelmente seria desprezado.

    Pois é isto que estamos fazendo com o Criador. DESPREZANDO-O.

    Embora façamos pregações louvando-o é um louvor sem honra, por que paralelamente e no mesmo templo enaltecemos o diabo ao reafirmar sua existência com o fim de atrair mais fiéis.

    Isto não nos parece demagogia?

    ResponderExcluir
  2. Vicente, eu particularmente nunca vi o diabo: e tenho plena convicção que ele não existe;pois na minha mente, e em meu coração, só existem espaços para abrigar, DEUS TODO PODEROSO; é nele que eu creio, e para quem vivo. Fátima Bezerra Cordeiro.

    ResponderExcluir
  3. Eh...

    FÁTIMA:

    Que ótimo, finalmente encontrei alguém com ideias racionais, e em sintonia com o meu pensamento cósmico.

    ResponderExcluir