OBRIGADO PELA VISITA

O LABORATÓRIO SIDERAL leva até você, somente POSTAGENS de cunho cultural e educativo, que trata do universo; das gentes; das lendas; das religiões e seus mitos, e de forma especial, dos grandes mistérios que envolvem nosso passado. Contém também muitos textos para sua meditação. Tarefa difícil, mas atraente. Neste Blog não há bloqueio para comentários sobre qualquer postagem.

A FOTO ACIMA É A VISÃO QUE TEMOS DA CHAPADA DO ARARIPE, A PARTIR DA NOSSA "VILA ENCANTADA".

domingo, 13 de novembro de 2016

VATICANO DÁ NOVAS INSTRUÇÕES PARA OS SERMÕES - Por Vicente Almeida

Em 2013, o papa Francisco ressaltou a importância de um conteúdo claro, breve e atraente, em linguagem susceptível de ser compreendida nos sermões.

Intitulado "Diretriz sobre a Homilia" (sermão), este documento de 117 páginas responde a uma prioridade do papa Francisco, que em 2013 ressaltou a importância de um conteúdo claro, breve e atraente, em linguagem susceptível de ser compreendida, e que deve confortar os fiéis, e não afligi-los.


Um padre católico que pronunciar um sermão não deverá a partir de agora dar uma aula de erudição, contar sua história pessoal ou "distorcer os textos" para impor seus preconceitos, recomendou nesta terça-feira uma diretiva para sacerdotes em todo o mundo.

"Para se tornar um bom pregador, não é necessário ser um grande orador", reafirma esta longa carta, ressaltando que "Moisés sofria com dificuldades de expressão, Jeremias se considerava muito jovem e Paulo sentia temor e tremor". "A voz de trovão e gestos teatrais devem dar lugar ao uso adequado da voz e gestos".

"A homilia deve ser breve e evitar parecer uma conferência. Não deve ser uma oportunidade para declarações completamente estranhas à celebração ou (...) para distorcer os textos em todas as direções para submetê-los a uma ideia preconcebida".

"Por fim, a homilia não deve ser considerada como um tempo reservado para o testemunho pessoal" do pregador, segundo o texto, que também rejeita a "pregação puramente moralista ou semelhante a doutrinação".

O documento também menciona casamentos e funerais, convidando os sacerdotes a prepará-lo tendo em vista que "muitos dos envolvidos não são cristãos ou não são católicos".

O sermão é privativo e reservado aos bispos, padres e diáconos, mas proibido aos leigos.

"Certamente boas lições podem ser ensinadas por líderes leigos bem preparados de algumas comunidades, mas tais intervenções devem ser feitas em outros contextos". Esta recomendação é direcionada às novas comunidades, onde não é incomum que os leigos comentem textos bíblicos durante as missas.

Contudo, observamos que poucos ou nenhum sacerdote aderiu a nova instrução e continuam aproveitando o momento como antes, alguns se alongam demais em suas homilias, outros se desviam para temos fora do contexto.

13/11/2016

2 comentários:

  1. Compadre Vicente,Não sou muito de ir pra igreja mas fui na missa de sétimo dia de um camarada,chegando lá já ouvi o Padre falando sobre ele ,de quando resolveu ser Padre até sua formatura depois foi até aquele momento presente.Pense em um caminho longo ,quase esqueceu o Finado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É...

      Compadre Luiz Lisboa:

      Parece que a Diretriz estabelecida pelo Papa sobre como deveria ser uma homilia não foi levado a sério ainda.

      Mas aqui no Crato um Monsenhor faz a sua homilia durante no máximo dez minutinhos e tudo exclusivamente sobre o Evangelho daquele dia, ao final diz: "Meditemos um pouco" e nos deixa a vontade para meditar durante um minutinho sobre o Evangelho e sua pregação. É o Reitor do Santuário Eucarístico, Monsenhor João Bosco Cartaxo Esmeraldo. A meu ver ele assimilou e aplica as diretrizes do Papa Francisco.

      Excluir